Sou Enfermagem

  • cisto (4).jpg
  • cisto (1) (1).jpg
  • cisto (3) (1).jpg

A maior remoção de cisto de ovário já registrado aconteceu no México

Quando um crescimento ovariano ou cisto precisa ser analisado de perto, um cirurgião pode fazê-lo através de uma pequena incisão utilizando a laparoscopia ou através de uma incisão abdominal maior (laparotomia). 

Qualquer tipo de cirurgia pode ser usado para diagnosticar e tratar problemas como cistos ovarianos, aderências, miomas e infecção pélvica. Mas se houver alguma preocupação com o câncer, a pessoa pode ter uma laparotomia. Dá a melhor visão dos órgãos abdominais e dos órgãos pélvicos femininos. Então, se o médico encontrar câncer de ovário, ele poderá removê-lo com segurança.

Durante a cirurgia, um cisto não canceroso que está causando sintomas pode ser removido (cistectomia), deixando o ovário intacto. Em alguns casos, o ovário inteiro ou ambos os ovários são removidos, particularmente quando o câncer é encontrado. 

A Cirurgia de Remoção do Cisto

A anestesia geral geralmente é usada durante a cirurgia. Depois de uma laparoscopia, a pessoa pode retomar as atividades normais dentro de um dia, mas ela deve evitar atividades extenuantes ou exercícios por cerca de uma semana. Após uma laparotomia, o paciente pode ficar no hospital de 2 a 4 dias e retornar às suas atividades habituais em 4 a 6 semanas. A cirurgia é usada para confirmar o diagnóstico de um cisto ovariano, remover um cisto que esteja causando sintomas e descartar o câncer de ovário.

A cirurgia para um cisto ou crescimento ovariano pode ser aconselhada nas seguintes situações:

Os crescimentos ovarianos (massas) estão presentes em ambos os ovários.
Um cisto de ovário é maior do que 3 polegadas (7,6 cm).
Um cisto ovariano que está sendo observado não diminui ou desaparece em 2 a 3 meses.
Um exame de ultrassonografia sugere que um cisto não é um cisto funcional simples.
Uma pessoa tem um crescimento ovariano e ela:
Nunca teve um período menstrual (por exemplo, uma menina).
Já passaram pela menopausa (mulher na pós-menopausa).
Use pílulas anticoncepcionais (a menos que a pessoa esteja usando pílulas de baixa dosagem de progestágeno ou tenha perdido uma pílula, o que tornaria mais provável um cisto funcional relacionado à ovulação).
Seu médico está preocupado que o câncer de ovário possa estar presente. Neste caso, também é aconselhável que a pessoa consulte um oncologista ginecológico.

Como isso funciona?

Um cisto ovariano pode ser removido de um ovário (cistectomia), preservando o ovário e sua fertilidade. Mas é possível que um novo cisto se forme no mesmo ou oposto ovário após uma cistectomia. Novos cistos só podem ser completamente prevenidos pela remoção dos ovários (ooforectomia).

Quais os Riscos da Cirurgia de remoção de cisto?

Os riscos da cirurgia ovariana incluem o seguinte:

Os cistos ovarianos podem voltar após uma cistectomia.
A dor pode não ser controlada.
O tecido cicatricial (aderências) pode se formar no local da cirurgia, nos ovários ou nas trompas de Falópio, ou na pélvis.
A infecção pode se desenvolver.
O intestino ou bexiga pode ser danificado durante a cirurgia.

A cirurgia pode ser recomendada se a pessoa tiver um cisto grande, cistos nos ovários ou outras características que possam sugerir câncer de ovário. O câncer de ovário pode ocorrer em mulheres de todas as idades, mas a incidência aumenta após a menopausa.

Médico realiza cirurgia de remoção do maior cisto de ovário já registrado

Uma jovem mexicana de 24 anos removeu um cisto do ovário que tomava até 95% de seu abdômen, de acordo com informações do Daily Mail. O crescimento que tinha o peso aproximado de dois bebês recém-nascidos teve ser removido, uma vez que colocava sua vida em risco. Os médicos acreditavam que o tumor, que pode ser considerado um dos maiores do mundo, era composto por um líquido tóxico ao seu organismo.

A paciente notou que estava ganhando peso mesmo estando em uma dieta. Então, exames revelaram que ela estava sofrendo de um cisto ovariano que cresceu rapidamente em um período de apenas 11 meses. Os médicos temiam que a cirurgia pudesse colocá-la em risco de insuficiência cardíaca, uma vez que o tumor de mais de 31 quilos estava esmagando seus órgãos. Até a operação, ela não conseguia mais andar, respirar e comer normalmente.

A operação pioneira foi feita pelo médico Dr. Erik Hanson Viana, do Hospital Geral do México. “Este é o maior cisto que já operei”, disse ele. “Era tão grande que ocupava 95% do abdômen da paciente. É muito rara uma operação como essa. O cisto media meio metro de diâmetro e uma circunferência de 157 cm”.

“De todas as pesquisas que eu fiz, este pode ser considerado o maior cisto de ovário já removido por inteiro”, continuou. “A paciente estava com excesso de peso, então, depois de começar uma dieta, ela notou que seu rosto, braços e pernas estavam ficando mais finos, mas seu estômago estava ficando cada vez maior”.
“Quando ela me procurou, podia apenas dar dois passos antes de ficar cansada e sentia-se como se estivesse lutando para respirar porque o cisto esmagava seus pulmões”, explicou. “Se não a tivéssemos operado, teria chegado ao ponto em que não teria sido capaz de andar e estaria gravemente desnutrida”.

VEJA AS FOTOS ABAIXO




Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 01/09/2018

Este site usa cookies para fornecer serviços e analisar tráfego. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais. Entendi