Sou Enfermagem

Primeira Consulta de Pré-Natal

Primeira Consulta de Pré-Natal

Na primeira consulta de pré-natal, a avaliação nutricional da gestante com base em seu peso e sua estatura permite conhecer seu estado nutricional atual e subsidia a previsão de ganho de peso até o fim da gestação. Essa avaliação deve ser feita conforme descrito a seguir:

I. Calcule o IMC por meio da fórmula:

Índice de Massa Corporal (IMC) = Peso (kg) Estatura2 (m)

O valor do IMC também pode ser obtido utilizando-se o DISCO para IMC. Esse instrumento é formado por dois planos circulares sobrepostos. O plano maior (inferior) possui, em sua bordas, valores de peso em quilogramas na parte externa e, na parte interna, os valores do IMC, que permitem a classificação nutricional. O plano menor (superior) possui valores da estatura em centímetros, uma seta e um visor. Faz-se a leitura do disco emparelhando os valores do peso e da estatura da gestante e lendo o valor de IMC na “janelinha”.

II. Realize o diagnóstico nutricional, utilizando o Quadro 1:

1. Calcule a semana gestacional; Obs.: Quando necessário, arredonde a semana gestaciona da seguinte forma:

1, 2, 3 dias considere o número de semanas completas; e 4, 5, 6 dias considere a semana seguinte.

Exemplo:

Gestante com 12 semanas e 2 dias = 12 semanas

Gestante com 12 semanas e 5 dias = 13 semanas

2. Localize, na primeira coluna do Quadro 1, a semana gestacional calculada e identifique, nas colunas seguintes, em que faixa está situado o IMC da gestante, calculado conforme descrito no item (I);

3. Classifique o estado nutricional (EN) da gestante, segundo o IMC por semana gestacional, da seguinte forma:

Baixo Peso: quando o valor do IMC for igual ou menor aos valores apresentados na coluna correspondente a baixo peso;

Adequado: quando o IMC observado estiver compreendido na faixa de valores apresentada na coluna correspondente a adequado;

Sobrepeso: quando o IMC observado estiver compreendido na faixa de valores apresentada na coluna correspondente a sobrepeso;

Obesidade: quando o valor do IMC for igual ou maior do que os valores apresentados na coluna correspondente a obesidade. Tabela 43

4. Classifique o estado nutricional (EN) da gestante, segundo IMC/semana gestacional em: BP (baixo peso), A (adequado), S (sobrepeso), O (obesidade). Obs.: O ideal é que o IMC considerado no diagnóstico inicial da gestante seja o IMC pré-gestacional referido ou o IMC calculado a partir de medição realizada até a 13ª semana gestacional. Caso isso não seja possível, inicie a avaliação da gestante com os dados d primeira consulta de pré-natal, mesmo que esta ocorra após a 13ª semana gestacional.

III. Condutas segundo a avaliação do estado nutricional encontrado:

Baixo Peso (BP): investigar história alimentar, hiperêmese gravídica, infecções, parasitoses, anemias e doenças debilitantes; dar orientação nutricional, visando à promoção do peso adequado e de hábitos alimentares saudáveis; remarcar consulta em intervalo menor que o fixado no calendário habitual;

Adequado (A): seguir calendário habitual, explicar à gestante que seu peso está adequado para a idade gestacional, dar orientação nutricional, visando à manutenção do peso adequado e à promoção de hábitos alimentares saudáveis;

Sobrepeso e Obesidade (S e O): investigar obesidade pré-gestacional, edema, polidrâmnio, macrossomia, gravidez múltipla; dar orientação nutricional, visando à promoção do peso adequado e de hábitos alimentares saudáveis, ressaltando que no período gestacional não se deve perder peso; remarcar consulta em intervalo menor que o fixado no calendário habitual. Mais informações sobre procedimentos poderão ser encontradas no Caderno de Atenção Básica: componente de alimentação e nutrição, Ministério da Saúde, 2004.

Em função do estado nutricional pré-gestacional ou no início do pré-natal , estime o ganho de peso total até o fim da gestação. Para cada situação nutricional inicial (baixo peso, adequado, sobrepeso ou obesidade), há uma faixa de ganho de peso recomendada. Para o primeiro trimestre, o ganho foi agrupado para todo período, enquanto que, para o segundo e o terceiro trimestres, o ganho é previsto por semana. Portanto, já na primeira consulta, deve-se estimar quantos gramas a gestante deverá ganhar no primeiro trimestre, assim como o ganho por semana até o fim da gestação. Essa informação deve ser fornecida à gestante. Observe que as gestantes deverão ter ganhos de peso distintos, de acordo com seu IMC inicial. Para a previsão do ganho, faz-se necessário calcular quanto a gestante já ganhou de peso e quanto ainda deve ganhar até o fim da gestação em função da avaliação clínica. Gestantes de baixo peso deverão ganhar entre 12,5 e 18,0kg durante toda a gestação, sendo esse ganho, em média, de 2,3Kg no primeiro trimestre da gestação (até 14ª semana) e de 0,5Kg por semana no segundo e terceiro trimestres de gestação. Essa variabilidade de ganho recomendado deve-se ao entendimento de que gestantes com BP acentuado, ou seja, aquelas muito distantes da faixa de normalidade,

devem ganhar mais peso (até 18kg) do que aquelas situadas em área próxima à faixa de normalidade, cujo ganho deve situar-se em torno de 12,5kg. Da mesma forma, gestantes com IMC adequado devem ganhar, ao fim da gestação, entre 11,5 e 16,0kg, aquelas com sobrepeso devem acumular entre 7,0 e 11,5Kg e as obesas devem apresentar ganho em torno de 7,0kg, com recomendação específica e diferente por trimestre.

NAS CONSULTAS SUBSEQÜENTES

Nas consultas subseqüentes, a avaliação nutricional deve ser feita repetindo-se

os procedimentos (I) e (II) do tópico anterior. Essa avaliação permite acompanhar a

evolução do ganho de peso durante a gestação e examinar se esse ganho está

adequado em função do estado nutricional da gestante no início do pré-natal.

Este exame pode ser feito com base em dois instrumentos: o Quadro 2, que

indica qual o ganho recomendado de peso, segundo o estado nutricional da gestante

no início do pré-natal, e o Gráfico 1, no qual se acompanha a curva de índice de massa corporal, segundo semana gestacional (ascendente, horizontal, descendente). Realize o acompanhamento do estado nutricional, utilizando o Gráfico de IMC por semana gestacional. O gráfico é composto por eixo horizontal com valores de semana gestacional e por eixo vertical com valores de IMC [peso (Kg)/estatura2 (m)]. O interior do gráfico apresenta o desenho de três curvas, que delimitam as quatro faixas para classificação do EN:

Baixo Peso (BP), Adequado (A), Sobrepeso (S) e Obesidade (O).

Para realizar o diagnóstico a cada consulta, deve-se proceder conforme descrito a seguir:

1. Calcule a semana gestacional;

2. Calcule o IMC conforme descrito no item (I) do tópico anterior;

3. Localize, no eixo horizontal, a semana gestacional calculada e identifique, no eixo vertical, o IMC da gestante;

4. Marque um ponto na interseção dos valores de IMC e da semana gestacional;

5. Classifique o EN da gestante, segundo IMC por semana gestacional, conforme legenda do gráfico: BP, A, S, O;

6. A marcação de dois ou mais pontos no gráfico (primeira consulta e subseqüentes) possibilita construir o traçado da curva por semana gestacional. Ligue os pontos obtidos e observe o traçado resultante;

7. Em linhas gerais, considere traçado ascendente como ganho de peso adequado e traçado horizontal ou descendente como ganho de peso inadequado (gestante de risco). Vale ressaltar que a inclinação recomendada para o traçado ascendente irá variar de acordo com o estado nutricional inicial da gestante, conforme quadro abaixo: tabela 46   47 É de extrema importância o registro do estado nutricional tanto no prontuário, como no cartão da gestante. A avaliação do estado nutricional é capaz de fornecer informações importantes para a prevenção e o controle de agravos à saúde e nutrição, contudo, vale ressaltar a importância da realização de outros procedimentos que possam complementar o diagnóstico nutricional ou alterar a interpretação deste, conforme a necessidade de cada gestante. Assim, destaca-se a avaliação clínica para detecção de doenças associadas à nutrição (ex.: diabetes), a observação da presença de edema que acarreta aumento de peso e confunde o diagnóstico do estado nutricional, a avaliação laboratorial para diagnóstico de anemia e outras doenças de interesse clínico, conforme as normas deste manual.

Gestante adolescente - observações

Deve-se observar que a classificação do estado nutricional na gestação aqui proposta não é específica para gestantes adolescentes, devido ao crescimento e à imaturidade biológica, nesta fase do ciclo de vida. No entanto, essa classificação pode ser usada, desde que a interpretação dos achados seja flexível e considere a especificidade deste grupo. Para adolescentes que engravidaram dois ou mais anos depois da menarca (em geral maiores de 15 anos), a interpretação dos achados é equivalente à das adultas. Para gestantes que engravidaram menos de dois anos após a menarca, é provável que se observe que muitas serão classificadas como de baixo peso. Nestes casos, o mais importante é acompanhar o traçado, que deverá ser ascendente; tratar a gestante adolescente como de risco nutricional; reforçar a abordagem nutricional e aumentar o número de visitas à unidade de saúde.

Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 14/03/2017

Gostou? Deixe seu comentário.

VOCÊ TAMBÉM PODE FAZER UMA PESQUISA