Sou Enfermagem

Bradicardia

Bradicardia

A bradicardia é uma condição na qual um indivíduo tem uma frequência cardíaca muito lenta, geralmente definida como uma freqüência cardíaca de repouso abaixo de 60 batimentos por minuto (BPM) em adultos. 

A bradicardia geralmente não causa sintomas até que a taxa caia abaixo de 50 BPM. Quando sintomático, pode causar fadiga, fraqueza, tontura, sudorese e taxas muito baixas, desmaios. 

Durante o sono, um batimento cardíaco lento com taxas em torno de 40–50 BPM é comum e é considerado normal. Os atletas altamente treinados também podem ter a síndrome do coração atlético, uma freqüência cardíaca em repouso muito lenta que ocorre como uma adaptação esportiva e ajuda a prevenir a taquicardia durante o treinamento.

O termo bradicardia relativa é usado para explicar uma frequência cardíaca que, embora não abaixo de 60 BPM, ainda é considerada muito lenta para a condição médica atual do indivíduo.

A bradicardia pode causar tonturas, fraqueza e até desmaios, já que os batimentos cardíacos lentos podem não ser capazes de levar todo o sangue com oxigênio necessário para o corpo.

Para saber se os batimentos cardíacos estão baixos, basta medir a pulsação. Para isso, você deve permanecer em repouso, de preferência deitado, durante pelo menos 5 minutos. Depois, coloque as pontas dos dedos indicador, médio e anelar logo abaixo do pulso, na base do polegar.

Pressione ou movimente os dedos para os lados, até sentir a pulsação. Use um relógio ou cronômetro para marcar o tempo e observe quantas vezes o seu coração bate durante 1 minuto.

Vale lembrar que contar as pulsações por 15 segundos e depois multiplicar por 4 para obter o número de batimentos cardíacos por minuto pode dar um resultado que não condiz com a realidade, já que a pulsação nem sempre é regular e pode oscilar.

A bradicardia tende a desaparecer quando a causa é eliminada ou tratada. Se você é uma pessoa sedentária e a sua frequência cardíaca é baixa (inferior a 60 bpm), procure um médico clínico geral ou um médico de família para que a origem da bradicardia seja identificada e tratada.




Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 03/07/2018

Este site usa cookies para fornecer serviços e analisar tráfego. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais. Entendi