Sou Enfermagem

Pés de Galinha pode Curar Doenças

Pés de Galinha pode Curar Doenças

Você deve estar se perguntando: o que, pês de galinha? Isso mesmo, você não ouviu errado.

Se você for fazer uma pesquisa de público, e perguntar aos entrevistados qual parte da galinha que você acha mais gostosa, com certeza os pês de galinha será pouco mencionada.

A maioria das indústrias comercializam os frangos sem as pernas, como a maioria dos brasileiros, mas o que eles não sabem é que os pês da galinha possuem vários benefícios para a nossa saúde, graças ao seu alto teor de vitaminas, minerais e colágeno.

BENEFÍCIOS

  • Acelera a cura das feridas;
  • Fortalece os ossos;
  • Melhora a saúde das gengivas;
  • Diminui a pressão sanguínea;
  • Reduz o estresse;
  • Aumenta as plaquetas.

Mas você deve estar se perguntando: Como os pês de galinha oferece todos esses benefícios? Vou explicar.

Os pês de galinha e riquíssimo em colágeno, que e ótimo para a elasticidade e renovação da pele. A quantidade de colágeno concentrado nos pês da galinha e a mesma quantidade encontrada na gelatina e na clara de ovo.

Eles ajudam o organismo a absorver o cálcio e as proteínas dos alimentos, melhorando assim a saúde das articulações e nos prevenindo de dores e problemas de ossos.

Eles elevam a produção de glóbulos vermelhos e fortalece as estruturas dos vasos sanguíneos. Os pés de galinha também produzem vários tipos de aminoácidos que são muito bons para o corpo. Um tipo de aminoácido que é liberado dos pés de galinha é arginina. Este é um tipo de aminoácido que é benéfico para o corpo. Isso ajuda o corpo na liberação dos hormônios que causam sentimentos de sofrimento e estresse.

Observe que os pês de galinha só formados por tendões, pele e ossos, e tudo isso e cheio de proteínas, cálcio, cartilagens, entre outros.

Sendo assim, a sugestão e parar de desperdiçar esse alimento tão rico de benefícios para a nossa saúde e passar a colocá-lo com frequência no seu prato.

Os Principais Alimentos Ricos em Colágenos 

Usando o Colágeno em favor da beleza e da saúde, principalmente da mulher.

Uma alternativa simples e barata para aumentar a produção de colágeno e retardar o processo de envelhecimento é manter uma alimentação balanceada todos os dias.

- O ideal é optar por uma dieta rica em proteínas magras e ômega-3, para estimular a produção de colágeno, além de consumir alimentos que contenham vitamina C, vitamina E, cobre, selênio, zinco e silício - aconselha.

Para esclarecer quais são os alimentos que ajudam a repor o colágeno no organismo, o nutricionista Gabriel Cairo Nunes lista os mais indicados:

Carnes, ovos, peixes

São fontes de proteínas e de vitaminas B6 e B12. Além disso, são importantes para a flora intestinal agindo no metabolismo de carboidratos, lipídios e aminoácidos.

Feijão, brócolis e ervilha
É importante consumir folhas verde-escuras como espinafre e outros alimentos como lentilhas, grãos, gema de ovo, fígado bovino e laranja, pois são fontes de ácido fólico, que é um nutriente muito importante para síntese do RNA e DNA, sendo fundamental na replicação celular.

Cerejas, uvas, soja
Estimulam a renovação celular, pois contêm flavonoides, um potente antioxidante para neutralizar os radicais livres, que são responsáveis pelo envelhecimento celular.

Aveia e leguminosas
São alimentos ricos em silício, um mineral proveniente de vegetais, indicado para auxiliar na manutenção da rigidez celular. A aveia age sobre os músculos, tendões, cartilagens e articulações amenizando dores e outros problemas enfrentados devido à ausência de colágeno.

Vitamina C
Alimentos ricos em vitamina C facilitam a síntese do colágeno. Abuse das frutas cítricas como laranja, acerola, limão e abacaxi.

Frutas vermelhas
São ricas em cianidina e vitamina C, antioxidantes que combatem os radicais livres. Seu consumo favorece as paredes dos vasos sanguíneos da pele, tornando-a mais irrigada e oxigenada. Além disso, as frutas vermelhas previnem o envelhecimento precoce das células, o excesso de oleosidade e a acne.




Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 29/08/2018

Este site usa cookies para fornecer serviços e analisar tráfego. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais. Entendi