Sou Enfermagem

Os negros representam 10% dos casos de melanoma, afirma INCA

Os negros representam 10% dos casos de melanoma, afirma INCA

NEGROS NA MIRA DO MELANOMA.

O Melanoma é um tumor maligno que se origina a partir dos melancólicos células que produzem a melanina, pigmento do nosso corpo. O Melanoma acontece quando há um erro nas células produtoras de melanina, mas ainda não há estudos que comprovem exatamente os danos que isso pode causar à nossa pele. A maioria dos casos indica que a principal causa seja o excesso de exposição aos raios UV – que podem ser provindos tanto da luz solar quanto das câmaras de bronzeamento artificial

O câncer de pele é a enfermidade de maior incidência no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). E seus números vem aumentando assustadoramente no Brasil e no mundo. Trata-se do tipo de câncer mais comum no homem e o terceiro em incidência na mulher. O melanoma é mais comum nas pessoas de pele, olhos e cabelos claros, com muitas pintas e em famílias que já tiveram melanoma, predominantemente no tronco dos homens e pernas das mulheres, com história de queimadura solar na infância ou exagero na exposição solar de forma intermitente, mais comum entre os 40 e 50 anos, sendo o maior problema, apesar de ser de 4 a 5% dos cânceres de pele, o alto índice de mortalidade

Atualmente, um falso mito sobre a doença vem sendo derrubado. Segundo a dermatologista Daniela Schmidt Pimentel, embora com uma incidência muito menor e ao contrário do que muitos imaginam, o câncer de pele também se manifesta em pessoas da raça negra, que costumam apresentar com maior frequência do que os brancos um tipo mais agressivo de câncer, chamado melanoma acral.

 As pessoas que possuem pele negra têm uma vantagem em relação às pessoas mais claras na hora de ficar expostas ao sol. O motivo é a alta quantidade de melanina na pele, que funciona como um filtro solar natural, aumentando a resistência cutânea para algumas doenças, principalmente o câncer de pele. A pele negra também é mais firme e prorroga o aparecimento das rugas e marcas de expressão.

Os negros representam 10% dos casos de melanoma, a localização mais comum é nas extremidades das mãos, região plantar e sob as unhas. Os primeiros sinais surgem com manchas que progridem até 2 a 3 cms, de cor castanho-enegrecida e bordas irregulares. O período de evolução é de aproximadamente 2 anos e meio quando surgem elevações e nódulos. O maior problema nos melanomas é falta do diagnóstico precoce.

Esse tipo de câncer é pouco frequente entre os melanomas (de 2% a 8% dos casos de câncer de pele), porém, é mais comum entre as pessoas de pele negra. Esse dado surgiu de uma pesquisa – recentemente publicada pela Revista Archives of Dermatology – desenvolvida pelo Programa Nacional do Câncer nos Estados Unidos

Os resultados da pesquisa indicaram que a proporção de melanoma acrolentiginoso, em relação aos demais subtipos de melanomas, foi maior entre os negros – 36% dos pesquisados apresentavam o problema.

Os primeiros sinais surgem com manchas de cor castanho-enegrecida e bordas irregulares. E o período de evolução é de aproximadamente dois anos e meio, quando surgem elevações e nódulos.

O diagnóstico precoce por meio da dermatoscopia e o mapeamento corporal das lesões pigmentadas, além da cirurgia feita de modo correto e precoce ainda são as melhores armas contra a doença. Sem qualquer proteção, a pele negra perde o brilho, tornando-se opaca. Apesar das características benéficas que as pessoas com esse tipo de pele possuem, existem outros problemas mais comuns na raça negra que exigem cuidados especiais no verão como a Foliculite que é uma infecção na cavidade dos pêlos causada por fungos, que acometem principalmente as mulheres, que se depilam com mais frequência no verão. As áreas mais atingidas são axilas e virilha.

Deve-se prevenir também o aumento de cravos e espinhas, devido à pele negra ser mais oleosa do que as demais. É recomendado que a pele seja devidamente limpa, hidratada e protegida à base de protetor solar todos os dias, para que evite a formação de manchas.

ALGUNS CUIDADOS

Para controlar todos os fatores que prejudicam a pele negra alguns cuidados devem ser tomados:

Hidratação diária e intensiva da pele

Retinóides para evitar formação de cravos e afinar a pele;

Hidroquinona para clarear as manchas deve ser usada com cuidado, porque se usada por muito tempo seguido pode causar manchas brancas definitiva;

Proteção solar regular, já que existe uma tendência maior de manchas escuras.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é feito pela avaliação clínica e exame anátomo patológico (biópsia) do tecido suspeito. Veja os exames que podem ser pedidos para o diagnóstico de câncer de pele:

Dermatoscopia; exame complementar importante para o diagnóstico de melanoma.

 Microscopia confocal; método de diagnóstico por imagem não invasivo, que permite a avaliação das camadas da pele em um tecido ainda vivo e a observação de lesões alteradas.

 Biospia; o tecido coletado é enviado para uma avaliação histológica – e isso que irá dizer se aquele tecido é mesmo canceroso, qual o tipo de câncer de pele, qual seu grau de malignidade e outras informações importantes.

 Exame de imagem; usados para ver se o câncer se espalhou para outras partes do seu corpo, como os pulmões, cérebro ou fígado. Estes testes incluem a tomografia de emissão (PET), tomografia computadorizada (TC) e ressonância magnética (MRI).

TRATAMENTOS .

Estágio inicial

No estágio inicial geralmente inclui cirurgia para remover o tumor. O melanoma muito fino pode ser removido totalmente durante a biópsia e não necessitar de tratamento adicional. O cirurgião irá remover o cancro, bem como uma margem de pele normal e de uma camada de tecido normal por baixo da pele. Para as pessoas com melanomas em estágio inicial, este pode ser o único tratamento necessário.

Estágio avançado

 Se o melanoma se espalhou para além da pele, as opções de tratamento podem incluir; Cirurgia para remover linfonodos comprometido; Quimioterapia; Radioterapia; Terapia biológica

Convivendo

 Mudanças de hábito como comer uma dieta equilibrada, dormir o suficiente e exercício pode ajudar a controlar os seus sintomas.

Ao desconfiar de alguma mancha, não fique só preocupado. Transfira as suas preocupações para o seu médico, que tomará as providências para esclarecer o seu problema propondo a solução adequada da forma mais rápida possível.




Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 29/08/2018

Este site usa cookies para fornecer serviços e analisar tráfego. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais. Entendi