Sou Enfermagem

O que são varicoceles?

O que são varicoceles?

O sistema reprodutor masculino é responsável pela produção, maturação e transporte de esperma. Esse sistema é uma entidade complexa e altamente integrada.

O esperma produzido nos testículos é transportado pelos dutos genitais, sendo depositado na uretra durante a ejaculação.


Anormalidades no sistema reprodutor masculino podem se apresentar através de uma massa escrotal. Massas podem ter pouca ou nenhuma repercussão para a saúde do paciente ou podem representar uma condição que traz risco à vida. Desta forma, é necessário seguir um protocolo de investigação para que seja possível determinar a natureza desta massa, bem como o tratamento mais adequado.

O câncer de testículo, por exemplo, que pode se manifestar por uma massa escrotal, é motivo de grande preocupação e requer intervenção imediata. Outras massas, como a varicocele, podem ter evolução benigna ou causar retardo no crescimento testicular em adolescentes ou ainda prejudicar a fertilidade em homens adultos. Logo, é importante que o paciente busque atendimento médico assim que ele identifique uma massa escrotal ou qualquer nódulo ou irregularidade quando fizer o autoexame da bolsa escrotal. A informação a seguir tem por objetivo auxiliar o paciente a conversar com um urologista sobre varicocele.


O que são varicoceles?

O cordão espermático é a estrutura que fornece o suprimento sanguíneo para o testículo e contém os vasos deferentes que transportam o esperma do testículo ao pênis e uretra. O cordão espermático passa pelo canal inguinal e se continua no escroto. O plexo pampiniforme é um grupo de veias interligadas que drenam o sangue dos testículos e se localizam dentro do cordão espermático. Acredita-se que o plexo pampiniforme tenha uma importante função na manutenção da temperatura testicular dentro do ideal para a produção de espermatozoides. O plexo pampiniforme resfria o sangue na artéria testicular antes que esse sangue atinja o testículo, ajudando a manter a temperatura testicular ideal, que é essencial para uma produção eficaz de espermatozoides.

As varicoceles são dilatações anormais das veias do plexo pampiniforme dentro da bolsa escrotal. São semelhantes às varizes de membros inferiores e frequentemente se desenvolvem durante a puberdade. Elas podem aumentar de tamanho com o passar do tempo e se tornar mais aparentes. As varicoceles do lado esquerdo são mais comuns que as do lado direito devido a diferenças anatômicas entre os dois lados. As varicoceles estão presentes em 10 a 15% dos garotos. Uma fração desses pacientes desenvolverá retardo do crescimento testicular durante a puberdade.

 

O que pode causar varicoceles?

Sugerem-se diversas causas para as varicoceles. Veias testiculares sem válvulas ou com válvulas incompetentes causariam estase venosa por fluxo venoso lento ou mesmo reverso. Além disso, o ângulo na qual a veia testicular esquerda se insere na veia renal esquerda pode transmitir a pressão venosa relativamente alta e resultar em refluxo venoso que se manifesta pela dilatação das veias escrotais. Isso explica por que as varicoceles são mais comuns no lado esquerdo. A veia gonadal direita não é tão longa e não se junta à veia renal direita. Raramente linfonodos aumentados ou outras massas no retroperitônio (o espaço atrás da cavidade abdominal) podem bloquear o fluxo sanguíneo nas veias testiculares, o que resulta na dilatação aguda dessas veias. Além de incomum, esse fenômeno geralmente se associa à dor.


Qual a frequência da varicocele?

A varicocele apresenta-se em cerca de 15% dos homens. Não se sabe ao exato quantos destes evoluem para infertilidade, mas aproximadamente 40% dos homens que procuram o urologista por infertilidade são portadores dessa doença associada à mobilidade dos espermatozoides reduzida. Não há associação a outras doenças ou a etnias.

Quais são os sintomas da varicocele?

A maioria dos homens com diagnóstico de varicocele não apresenta sintomas, mas a varicocele é importante por muitos motivos. A varicocele pode estar associada à infertilidade e à atrofia (redução do tamanho) do testículo. Cerca de 40% dos casos de infertilidade masculina primária e 80% dos casos de infertilidade masculina secundária podem ser causados por varicocele. A varicocele raramente causa dor. Quando há dor, ela pode variar de um desconforto leve, a uma sensação de peso ou a uma dor em pontada. Os sintomas podem piorar quando o paciente está sentado, em pé ou com o esforço físico – principalmente quando algum desses fatores ocorrerem por períodos longos. Geralmente os sintomas pioram com o passar do dia, havendo melhora quando o paciente se deita, o que permite uma melhor drenagem venosa.


Como se diagnostica a varicocele?

Pode-se descobrir a varicocele pelo autoexame ou por um exame médico de rotina. Ela pode parecer uma massa testicular e a sua descrição clássica é de um “saco de minhocas” por causa de sua aparência e da sensação ao se palpar uma varicocele. Os médicos geralmente diagnosticam a varicocele com o paciente em pé. Pode-se solicitar que o paciente respire fundo, prenda a respiração e que faça força. Essa técnica, denominada manobra de Valsalva, ajuda o médico a detectar o aumento do plexo pampiniforme. Pode ser solicitada uma ultrassonografia da bolsa escrotal, principalmente se o exame físico for difícil ou inconclusivo. Os marcadores ultrassonográficos diagnósticos de varicocele são veias com mais de três mm de diâmetro com reversão do fluxo sanguíneo nas veias do plexo pampiniforme à manobra de Valsalva. Além disso, a ultrassonografia pode mensurar o volume testicular, o que é útil para definir o melhor tratamento em adolescentes. A ultrassonografia não é, todavia, solicitada de rotina quando não há achados ao exame físico.


Quais são as opções de tratamento para a varicocele?

O tratamento da varicocele é considerado em pacientes com infertilidade, dor ou atrofia testicular. Não há medicamentos disponíveis quer para tratamento ou prevenção. Entretanto podem-se utilizar analgésicos quando houver dor.

Há dois tratamentos principais para a varicocele:

Cirurgia: Há técnicas variadas, mas todas envolvem a obstrução das veias do plexo pampiniforme. Essas técnicas incluem cirurgias abertas que são realizadas através de uma incisão de cerca de três cm com ou sem uso de instrumentos que aumentem a imagem (lupa ou microscópio cirúrgico). Os procedimentos com uso do microscópio cirúrgico são denominados microcirurgia. Alguns cirurgiões defendem o reparo da varicocele por videolaparoscopia, que utiliza instrumentos que penetram a cavidade abdominal por pequenas incisões. As cirurgias abertas são realizadas com uso de técnicas anestésicas variadas, desde local até geral. Já a videolaparoscópica necessita de anestesia geral. Com o advento de incisões menores, que evitam transecção muscular, as cirurgias abertas se tornaram semelhantes às videolaparoscópicas em relação ao tempo de recuperação e à dor no pós-operatório. As complicações das duas técnicas (videolaparoscópica e aberta) são raras e incluem a persistência ou recorrência da varicocele, formação de hidrocele e lesão à artéria testicular, o que leva à perda do testículo.


Embolização percutânea: Esse é um procedimento realizado por radiologistas através de um cateter introduzido em uma veia ou pelo pescoço ou pela virilha. Após visualização radiográfica das veias do plexo pampiniforme dilatadas, liberam-se molas ou balões para que se crie um bloqueio nas veias. Essa obstrução vai levar à interrupção do fluxo sanguíneo nas veias do plexo pampiniforme e ao desaparecimento da varicocele. A embolização geralmente é feita com uso de sedação venosa e costuma levar algumas horas. As complicações incluem persistência ou recorrência da varicocele, migração das molas. Esse procedimento não tem sido amplamente realizado na maioria dos centros.

 

Segundo a melhor revisão bibliográfica comparando os diferentes tratamentos, a correção microcirúrgica é a que consegue os melhores resultados (tabela 1)

 

TécnicaTaxa de GravidezRecorrênciaHidrocele
Microcirúrgica

42%

1%

0,40%

Videolaparoscópica

30%

4%

3%

Embolização

33%

13%

0%

 

O que se pode esperar após o tratamento?

O período de recuperação após a cirurgia é breve. A dor geralmente é leve e os pacientes devem evitar atividade física por 10 a 14 dias. Trabalho burocrático pode ser reiniciado após 1-2 dias. Um novo espermograma é solicitado 3-4 meses após a cirurgia caso houvesse infertilidade no pré-operatório. Os casos tratados por microcirurgia possuem baixa taxa de recidiva de aproximadamente 1%.

O período de recuperação após a embolização também é curto. A dor é mais uma vez leve e solicita-se aos pacientes que evitem atividade física por 7-10 dias após o procedimento. O retorno ao trabalho burocrático pode ocorrer em 1-2 dias. A recorrência com a embolização é geralmente maior que com microcirurgia. Todavia, há circunstâncias nas quais a embolização pode ser preferível à microcirurgia.

O impacto da correção da varicocele na fertilidade não é totalmente compreendido. Alguns estudos demonstram melhora na fertilidade após a cirurgia, mas outros não conseguiram documentar esse efeito. A qualidade do sêmen apresenta melhora em 60% dos homens inférteis que são operados por varicocele. A cirurgia deve, então, ser considerada dentre outras opções terapêuticas disponíveis para o casal. Em adolescentes, nos quais a principal indicação de tratamento cirúrgico é o retardo no crescimento testicular, a recuperação do tamanho testicular ocorre em mais de 90% dos pacientes.


Perguntas frequentes:

O que vai acontecer se eu optar pela observação ao invés do tratamento?

A varicocele pode levar a atrofia testicular e/ou ao declínio na qualidade do sêmen, e isso pode resultar em infertilidade. A varicocele pode levar a uma lesão testicular permanente e irreversível com o passar do tempo.

Eu sinto dor devido à varicocele. O que pode ser feito para aliviar essa dor?

O uso de suporte atlético ou outro tipo de suspensão escrotal pode ser útil no combate à dor associada à varicocele. O decúbito dorsal (deitar de costas) facilita a drenagem da varicocele e frequentemente melhora o desconforto. O uso de analgésicos também é benéfico. Além disso, muitos pacientes obtém alívio permanente após a correção pelas técnicas citadas anteriormente.

Eu estou pensando em ser submetido à correção de varicocele por infertilidade. Em quanto tempo deverá haver melhora em meu espermograma?

O espermograma de controle é geralmente colhido 3-4 meses após o procedimento. Frequentemente já há melhora após seis meses, mas em alguns casos pode demorar até um ano.

Meu filho adolescente foi recentemente diagnosticado como portador de varicocele. Ela deve ser corrigida?

As indicações de correção da varicocele em adolescentes incluem uma diferença superior a 10% no volume testicular. Além disso, deve-se considerar o tratamento em pacientes com dor. A melhor abordagem em adolescentes é altamente individualizada e uma consulta com um urologista para discutir se o tratamento seria ou não apropriado é altamente recomendada.

Eu não estou preocupado com minha fertilidade e não apresento sintomas. Eu devo corrigir minha varicocele?

Geralmente as varicoceles assintomáticas não são reparadas. A maior parte dos médicos não acredita que a varicocele assintomática traga outras consequências à saúde do paciente caso não seja tratada.


Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 14/03/2017

Gostou? Deixe seu comentário.

VOCÊ TAMBÉM PODE FAZER UMA PESQUISA