Sou Enfermagem

Enfermeira é agredida por paciente em hospital em Fortaleza

Enfermeira é agredida por paciente em hospital em Fortaleza

Enfermeira é agredida por paciente em hospital em FortalezaCâmeras de segurança registraram a agressão.
Crime ocorreu no Hospital Gonzaguinha, da Barra do Ceará.


Uma enfermeira denunciou um homem por agressão no Hospital Gonzaguinha da Barra do Ceará, em Fortaleza. Segundo a enfermeira, o paciente exigia prioridade no atendimento. A agressão, ocorrida no domingo (1º) foi filmada por câmeras de segurança.


As imagens de câmeras do hospital mostram a enfermeira vestida de azul parada perto de uma porta quando é puxada para dentro da sala. Em seguida o homem sai da sala dando um golpe no pescoço da enfermeira. A esposa do suspeito puxa uma outra profissional pelos cabelos. As pessoas que aguardam atendimento tentam impedir a agressão e um idoso que estava próximo ao local teve que ser retirado do corredor.

Ainda machucada, a enfermeira disse que está abalada e com muito medo. “Naquele momento eu fui me certificar de que as crianças estavam sendo atendidas. Foi no momento que fui surpreendida por ela. Depois alguém me arrasta pelos cabelos e receber golpes no rosto. O marido dela vê tudo e me dá também uma gravata e sai me arrastando me enforcando”, disse.
De acordo com os funcionários do Hospital Gonzaguinha, as duas filhas do casal tinham passado pelo atendimento na sala de acolhimento. A mãe disse que as crianças estavam vomitando. Uma estava com um quadro mais grave, mas ambas foram classificadas na cor verde -- com atendimento menos urgente --, para que fossem atendidas juntas. Mas, segundo a enfermeira, a mãe delas queria que a servidora mudasse as informações escritas na ficha.
“Todas foram atendidas e tiveram atendimento. Esse é meu papel. São protocolos do Ministério da Saúde e ele já tem lá. Não fui eu que inventei a classificação mas sim o ministério”, explicou


Unidade com poucos pacientes
A diretoria técnica do hospital, Lúcia de Fátima Andrade, disse que não havia motivo para que o casal agir com tanta violência. De acordo com Lúcia de Fátima a unidade estava em um dia com pouco pacientes.

“Estávamos com a casa tranquila com fluxo de pacientes tranquilo. Duas pediatras e enfermeiros. A enfermeira disse que as crianças iam ser atendidas sem problemas”, assegurou.


Apoio a enfermeira
De acordo com a administração do hospital, o agressor foi identificado. Trata-se de Bruno Vitor de 30 anos e já foi candidato a vereador em 2012. A Associação dos Enfermeiros vai prestar todo apoio jurídico e psicológico para a enfermeira.
Bruno Victor, denunciado pela enfermeira foi procurado por telefone e ele disse que só iria se pronunciar depois de ver a reportagem.


Houve uma nova tentativa de falar com Bruno Victor na manhã desta quinta-feira e ele disse que gostaria de falar e ficou de marcar o local da entrevista. Só que, depois disso, não atendeu mais as nossas ligações.

 

VEJA O VÍDEO

 



Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 14/03/2017

Gostou? Deixe seu comentário.

VOCÊ TAMBÉM PODE FAZER UMA PESQUISA