Sou Enfermagem

A incrível história do oftalmologista que ajuda crianças no Quênia

A incrível história do oftalmologista que ajuda crianças no Quênia

Por muitos anos, o Dr. Andrew Bastawrous quando ainda era criança, não conseguiu enxergar com clareza suficiente para detectar as folhas nas árvores ou as estrelas no céu.

Os professores diziam que ele era preguiçoso e ele também diz: "Aconteceu muitas reclamações na escola e depois de algumas semanas eu ganhei meu primeiro par de óculos e foi quando vi estrelas pela primeira vez, comecei a me sair bem na escola e isso transformou completamente minha vida".

Em todo o mundo, 12 milhões de crianças, como o Dr. Bastawrous, têm problemas de visão que podem ser corrigidos por um par de óculos.

Mas, em muitas áreas, o acesso a especialistas em oftalmologia é difícil - deixando crianças com deficiências visuais que podem prejudicar o trabalho escolar e, em última análise, suas oportunidades mais tarde na vida.

Testes de olho de bolso

Na zona rural do Quênia, por exemplo, há um oftalmologista para um milhão de pessoas. Enquanto isso, nos EUA, há em média um oftalmologista para cada 15.800 pessoas.

Em 2011, o Dr. Bastawrous - agora um oftalmologista na Inglaterra - decidiu estudar a saúde ocular da população de Kitale, no Quênia, como parte de seu doutorado.

Ele levou para lá cerca de 50 toneladas em equipamentos para os olhos, numa tentativa de instalar 100 clínicas oculares temporárias, mas descobriu que isso não funcionava, já que estradas e eletricidade confiáveis eram escassas.

Foi percebendo que essas mesmas áreas tinham grande cobertura de telefonia móvel - com cerca de 80% da população possuindo um telefone celular - que despertou a idéia de Peek.

As crianças ficam a 2 m da tela e cobrem um olho

O Peek é um sistema baseado em smartphone que pode trazer cuidados oftalmológicos para as pessoas onde quer que elas estejam.

Uma parte do sistema Peek funciona de forma semelhante ao diagrama ocular de um oftalmologista, verificando o quanto uma pessoa pode ver bem.

Professores como oculistas

Dr Bastawrous queria ver se Peek poderia ser usado por não-especialistas em áreas onde os especialistas em olho são escassos. Sua equipe teve a ideia de treinar professores - transformando o professor em um oftalmologista.

Agora, um ensaio publicado na revista Lancet Global Health mostra que Peek pode ser usado com sucesso para levar testes de visão de bolso para escolas, ajudando mais crianças a obter os óculos de que precisam.

Como funciona:

As crianças são mostradas uma série de formas "E" em diferentes orientações e tamanhos.

A criança aponta na direção em que o símbolo está voltado

O professor (que não pode ver a tela), em seguida, passa o telefone na mesma direção

O aplicativo determina quão boa é a visão da criança

Tentei e testei

O Dr. Bastawrous - juntamente com uma equipe de pesquisadores da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres - passou uma semana treinando 25 professores em 50 escolas rurais do Quênia para usar seu sistema Peek ou exames oculares padrão normalmente feitos por enfermeiras especializadas.

Metade das crianças da escola primária foram então testadas usando o sistema Peek e metade com testes padrão de olho usando uma série de cartões de teste de papel.

Após os testes, as crianças que foram examinadas pelo sistema Peek exibiram uma simulação em tela dividida de como sua visão era borrada em comparação com alguém que podia ver claramente.

Os pais tiveram a chance de apreciar como seus filhos passaram a ver o mundo.

Crucialmente, eles receberam uma impressão disso para passar para seus pais, mostrando-lhes o quão pobre era a visão de seus filhos.

O sistema Peek também enviou detalhes da clínica oftalmológica mais próxima, juntamente com lembretes de mensagens de texto, para encorajar os pais a levar seus filhos ao hospital.

Enquanto isso, as crianças que realizaram o teste de visão em papel tiveram suas pontuações gravadas manualmente e, se os professores detectaram algum problema ocular, receberam uma carta em papel para passar para os pais.

Pesquisadores descobriram que duas vezes mais crianças compareceram ao hospital para fazer exames oftalmológicos gratuitos com o Peek do que para exames oftalmológicos padrão.

Promessa de visão

Hillary Rono, oftalmologista do Quênia e principal pesquisadora do estudo, disse: "Isso pode mudar o mundo. Para colocar isso em perspectiva, eu sou um dos 100 oftalmologistas do Quênia.

"Eu sou responsável por uma região que tem dois milhões de pessoas. Não consigo alcançar todos nessa área.

"Portanto, essa tecnologia permitirá que pessoas sem habilidades médicas identifiquem as crianças com problemas e as vinculem a médicos como eu, para que possam tratá-las".

O estudo também descobriu que o aplicativo detectou mais crianças com problemas oculares do que os testes padrão - embora algumas fossem condições alérgicas que turvavam temporariamente a visão em vez de problemas visuais que precisavam de óculos.

Os pesquisadores perceberam que essas crianças também se beneficiaram do tratamento, por isso o Peek agora foi refinado para identificar a diferença entre problemas de visão e outros problemas oculares, e enviar as crianças ao lugar certo para obter ajuda.

Comentando o estudo, Peter Holland, da Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira, disse: "Inovações como a Peek reduzem os custos de triagem e encaminhamentos e colocam os serviços ao alcance de milhões de pessoas que estão sendo deixadas para trás.

"Eles têm o potencial de oferecer a promessa de visão a muitos que precisam."

O Peek está sendo implementado em mais escolas no Quênia, atendendo a 300.000 crianças, com óculos subsidiados para quem precisa delas.

O governo do Botswana está planejando usá-lo em todo o país e também está sendo usado na Índia.




Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 16/07/2018

Este site usa cookies para fornecer serviços e analisar tráfego. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais. Entendi