Sou Enfermagem

O que é a hematúria?

O que é a hematúria?

Há muitos motivos para que alguém tenha sangue em sua urina. Isso é denominado hematúria e pode indicar tanto uma doença grave como não ter uma causa que necessite de tratamento.

O que você deve fazer se houver sangue em sua urina? Leia o texto a seguir para saber.


 O que é a hematúria?

A hematúria é definida como a presença de glóbulos vermelhos na urina. Pode ser macroscópica (visível ao olho nu) ou microscópica (visível apenas com o auxílio do microscópio). A hematúria microscópica é um achado incidental que é frequentemente detectada em exames de urina de rotina. Já a hematúria macroscópica costuma levar os pacientes a procurar atendimento médico.

A hematúria pode se originar de qualquer local do trato urinário: rins, ureteres, bexiga, próstata e uretra. Estima-se que a hematúria ocorra em 2,5% a 21% da população. Em muitos pacientes não se consegue identificar uma causa específica; a hematúria pode, todavia, ser um sintoma de infecção, litíase (cálculo ou pedra no sistema urinário) ou câncer. Os fatores de risco para doença grave como causa da hematúria incluem: tabagismo (o hábito de fumar), exposição à radiação, uso de certos analgésicos e exposição a certos produtos químicos.

Quais as causas comuns de hematúria?

Sangue na urina frequentemente não é um sinal de doença grave. Estudos mostram que entre 9% a 18% dos indivíduos normais podem apresentar algum grau de hematúria. Entretanto, a hematúria pode ser sinal de uma doença grave que necessita de tratamento. A seguir, listam-se causas comuns de hematúria:

  • Câncer de bexiga

  • Câncer de rim

  • Câncer de próstata

  • Câncer de ureter

  • Câncer de uretra

  • Cálculos urinários

  • Infecção urinária

  • Pielonefrite (infecção renal)

  • Hiperplasia prostática benigna (aumento da próstata)

  • Doenças renais

  • Cistite (irritação da bexiga) causada por radiação ou produtos químicos.

  • Trauma do sistema urinário

  • Prostatite (infecção/inflamação da próstata)

  • Hematúria causada por exercícios

Como se diagnostica a hematúria?

A hematúria macroscópica geralmente assusta o paciente, levando-o a procurar atendimento médico. A hematúria microscópica, contudo, pode ser tão grave quanto a macroscópica. Ela frequentemente não causa sintomas, sendo detectada em um exame simples de urina. Se o exame evidenciar sangue (três ou mais glóbulos vermelhos por campo de grande aumento), serão necessários exames adicionais para determinar a causa da hematúria.

Quais outros exames são necessários?

Qualquer paciente com hematúria macroscópica ou hematúria microscópica significativa deve fazer uma avaliação completa do sistema urinário. O primeiro passo é a anamnese (a coleta da história pelo médico) e o exame físico completo. Os exames laboratoriais consistem em exame simples de urina (EAS – exame de elementos anormais e sedimento) com uso de microscópio. Deve-se avaliar se há presença de proteína (o que é sinal de doença renal) ou indícios de infecção. Deve-se determinar o número de glóbulos vermelhos por campo de grande aumento, além do seu formato, o que pode ajudar a determinar a origem do sangramento. Em pacientes com glóbulos brancos (também denominados leucócitos ou piócitos) na urina, também se deve solicitar uma cultura de urina. Uma citologia urinária é outro exame que procura células anormais na urina. Também são necessários exames de sangue para medir a creatinina (que é usada para avaliar a função renal). Os pacientes com proteinúria (proteína na urina) significativa ou creatinina elevada devem ser submetidos a um exame clínico (por um nefrologista) para avaliar se há doença renal.

Uma avaliação urológica completa para hematúria também inclui exames radiológicos das vias urinárias que podem detectar câncer ou litíase (cálculos ou pedras). Tradicionalmente se fazia a pielografia, um exame no qual se injeta contraste no sangue do paciente e se fazem radiografias à medida que o rim excreta o contraste. Esse exame apresenta dificuldade em detectar pequenos tumores renais, sendo frequentemente associado a uma ultrassonografia renal.

Muitos médicos podem solicitar outros exames de imagem, como uma tomografia computadorizada (TC). Esse é o método preferido para avaliar tumores renais e o melhor exame para detecção de cálculos. Atualmente, muitos urologistas solicitam uma urotomografia, que permite ao radiologista avaliar rins e ureteres. Em pacientes com creatinina elevada ou alérgicos ao contraste, usa-se a ressonância magnética ou pielografia retrógrada para avaliar o sistema urinário alto (rins e ureteres). Na pielografia retrógrada o paciente é levado ao centro cirúrgico, é anestesiado e se injeta contraste nos ureteres a partir da bexiga e então são obtidas imagens radiológicas.

A principal limitação desses exames de imagem é a incapacidade de avaliar a bexiga. Desta forma, é necessário realizar uma cistoscopia. Esse exame é realizado em regime ambulatorial, podendo ser feito com anestesia local e sedação, a critério do anestesista. Após aplicar um anestésico local na uretra, o urologista introduz o cistoscópio pela uretra até atingir a bexiga. Com auxílio do cistoscópio, o médico pode analisar o revestimento interno da bexiga e da uretra e identificar qualquer alteração.

O que acontece se não for encontrada nenhuma alteração?

Em pelo menos 10% dos casos não se identifica qualquer causa para hematúria. Alguns estudos demonstraram uma porcentagem ainda maior de pacientes sem causa identificável. Infelizmente esses estudos também evidenciaram que posteriormente é feito o diagnóstico de câncer em 1% a 3% desses pacientes sem causa identificável. Desta forma, é aconselhável que esses pacientes mantenham alguma forma de acompanhamento. Não há consenso, contudo, de como deve ser feito esse acompanhamento. É interessante repetir o exame de urina (EAS) e a citologia urinária com frequência semestral por até três anos. Reavaliação imediata com cistoscopia e novo exame de imagem devem ser realizados em caso de hematúria macroscópica, alterações na citologia urinária e sintomas urinários irritativos, como dor ao urinar ou aumento na frequência urinária. Caso nada disso ocorra dentro de três anos, não será necessário repetir os exames complementares.

Como se trata a hematúria?

O tratamento depende da avaliação do médico assim como da causa da hematúria.

Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 14/03/2017

Gostou? Deixe seu comentário.

VOCÊ TAMBÉM PODE FAZER UMA PESQUISA