Sou Enfermagem

Medicamentos broncodilatadores

Medicamentos broncodilatadores

Os medicamentos broncodilatadores agem expandindo os brônquios, e, assim, facilitando a respiração do paciente. 

Os broncodilatadores que merecem destaque são: aminofilina, sulfato de terbutalina e ipratrópico.

O medicamento aminofilina é indicado nos casos de asma brônquica, bronquite, enfisema e doença pulmonar obstrutiva crônica. Sua administração pode ser feita por via oral (comprimidos) ou endovenosa.

Os pacientes em uso de aminofilina podem apresentar, como efeitos colaterais: náuseas, vômito, diarreia, cefaleia, arritmia cardíaca, taquicardia, elevação da glicemia, parada respiratória e hipotensão.

Cuidados específicos por parte da enfermagem quanto à aminofilina:

  • Atentar para a forma de apresentação, a dosagem e a via de administração prescritas pelo médico.
  • Atentar para sinais e sintomas dos efeitos colaterais.

O medicamento sulfato de terbutalina é indicado no tratamento de asma brônquica, bronquite e broncoespasmo. Sua administração pode ser feita por via oral (comprimido e xarope), inalatória, subcutânea ou endovenosa (quando se pretende inibir o trabalho de parto prematuro).

O paciente em uso de sulfato de terbutalina pode apresentar, como efeitos colaterais: alteração de pressão arterial, ansiedade, confusão mental, cefaleia, náusea, arritmia cardíaca, parada cardiorrespiratória, azia e palpitação.

Cuidados específicos por parte da enfermagem quanto ao sulfato de terbutalina:

  • Atentar para a forma de apresentação, a dosagem e a via de administração prescritas pelo médico.
  • Recomenda-se, como local de aplicação por via subcutânea, a área lateral do músculo deltoide (membros superiores).
  • Orientar familiares sobre a possibilidade de confusão mental.
  • Atentar para sinais e sintomas dos efeitos colaterais.

O medicamento ipratrópico é indicado nos casos de asma, bronquite crônica e enfisema. Sua administração é por via inalatória.

Os pacientes em uso do medicamento ipratrópico podem apresentar, como efeitos colaterais: cefaleia, náusea, boca seca, taquicardia, palpitação e retenção urinária.

Cuidados específicos por parte da enfermagem quanto ao ipratrópico:

  • Atentar para a forma de apresentação, a dosagem e a via de administração prescritas pelo médico.
  • Atentar para sinais e sintomas dos efeitos colaterais.

REFERÊNCIAS

1. Administração de medicamentos na Enfermagem. Rio de Janeiro: EPUB. 2ª ed, 2002
2. FURP - Memento Terapêutico. Secretaria de Estado da Saúde. 6ª ed., nov/95.
3. STAUT, NAÍMA DA SILVA - Manual de drogas e soluções. São Paulo: EPU, 1986.
4. ZANINI, A.C., OGA S. - Farmacologia aplicada. 5º ed. São Paulo: Atheneu, 1994.
5.FAKIH, F.T. - Manual de Diluição e administração de medicamentos injetáveis. 1ªed.
Rio de Janeiro, 2000
6. FONSECA, S.M. et al – Manual de Quimiterapia antineoplasica. 1ªed, Rio de Janeiro,
2000
7. DUNCAN, H.A. et al – Dicionário Andrei para enfermeiros e outros profissionais da
saúde, 2ªed, São Paulo, 1995

Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 04/07/2018

Gostou? Deixe seu comentário.