Sou Enfermagem

Especialidade Enfermagem em Central de Material e Esterilização

Especialidade Enfermagem em Central de Material e Esterilização

A Central de Material e Esterilização (CME) destaca-se no contexto da organização de saúde de uma forma bastante peculiar por caracterizar-se como uma unidade de apoio a todos os serviços assistenciais e de diagnóstico que necessitem de artigos para a prestação de assistência aos seus usuários. 

O desenvolvimento do CME está relacionado com a transformação do hospital como local de intervenções no corpo biológico, principalmente as cirurgias, a partir da emergência do capitalismo. E a compreensão do enfermeiro como responsável pelo CME pode ser buscada no papel que a enfermagem representou nesta transformação, dado pela organização do ambiente terapêutico.

Para o funcionamento de uma CME, a presença do enfermeiro é de vital importância para o gerenciamento de todo o processo e das medidas necessárias à previsão e à provisão dos recursos.

Entretanto, as atribuições dos profissionais em CME não são claramente divulgadas, fazendo com que muitos funcionários não manifestem interesse em atuar no setor, que em muitos aspectos se assemelha a uma indústria, pela forma seqüencial de processamento dos materiais e a necessária produtividade.

Na CME, a função do enfermeiro tem início na fase de planejamento da unidade, cabendo-lhe a escolha adequada tanto de recursos materiais quanto humanos, bem como a seleção e o treinamento de pessoal levando-se em conta o perfil do setor.

Além disso, ele é o responsável por atividades de coordenação, orientação e supervisão de todas as etapas do reprocessamento dos produtos e estabelecimento de interfaces com as unidades consumidoras.

Ainda entre suas atribuições está a capacitação dos demais funcionários, por meio da educação continuada das equipes sob sua responsabilidade, na qual o enfermeiro funcione como facilitador da aquisição de saber e atualização, com medidas de incentivo à participação em eventos científicos.

Uma de suas responsabilidades diz respeito também à saúde ocupacional dos profissionais sob sua supervisão. No que se refere principalmente ao risco biológico, o enfermeiro estabelece rotinas bem determinadas de limpeza dos produtos a fim de evitar acidentes perfuro-cortantes, respingos de sangue ou fluidos corporais, além de ênfase adequada ao uso de equipamento de proteção individual (EPI).

Percebemos então que o enfermeiro de CME atualmente gerencia informações, a fim de manter as necessidades de cuidado dos clientes e a utilização eficiente dos recursos de enfermagem, obviamente adequando o gerenciamento à sua realidade institucional.

O trabalho do enfermeiro na CME é considerado um cuidado legítimo, na medida em que os enfermeiros que atuam na assistência direta ao cliente conseguem compreender que o invisível, representado pelo fazer do enfermeiro no preparo de materiais, é essencial para o visível que permeia o cotidiano de sua prática assistencial. Essa percepção reafirma o significado do trabalho do enfermeiro que é reconhecido como cuidar/promover cuidados por aqueles que dele fazem uso e sinaliza que se pode ter expectativas positivas acerca de um esforço coletivo para a melhoria dos serviços de enfermagem.




Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 20/08/2018

Este site usa cookies para fornecer serviços e analisar tráfego. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais. Entendi