Sou Enfermagem

Sondagem Nasoenteral

Sondagem Nasoenteral

Qual a Finalidade?

Permitir a administração de dietas e medicamentos de maneira mais confortável e segura, principalmente nos pacientes idosos, acamados e com reflexos diminuídos.

Indicação e Contraindicação 

Indicação: pacientes inconscientes e/ou com dificuldade de deglutição.

Contra-indicação: pacientes com desvio de septo e TCE.

Responsabilidade 

Enfermeiro.

Pontos Críticos 

  • · Traumas nasais;

  • · Inflamação do intestino;

  • · Diarréia;

  • · Obstrução da sonda;

  • · Pneumotórax.

Material

Máscara descartável, bandeja, SNE, gel hidrossolúvel, seringa 20 ml, gaze, estetoscópio, luva de procedimento, esparadrapo/micropore, SF 0,9%, lanterna (se necessário), biombo (se necessário), toalha ou papel toalha.

Descrição da Técnica

Ação da Enfermagem

01-Higienizar as mãos;

02-Conferir prescrição médica, reunir o material e levar para próximo ao paciente;

03-Explicar o procedimento ao paciente e ao familiar;

04-Isolar a cama com um biombo;

05-Posicionar o paciente em posição “Fowler” alta, a menos que haja contra-indicação. Caso o paciente não possa ter a cabeceira elevada, mantê-lo em decúbito dorsal horizontal, lateralizando a cabeça e inclinando-a para frente;

06-Colocar máscara e calçar luvas de procedimento;

07-Avaliar a desobstrução nasal e/ou desvio de septo;

08-Inspecionar a condição da cavidade oral do paciente

Justificativa

01- Reduzir transmissão de microrganismos;

02- Evitar erros, facilitar a organização e o controle eficiente do tempo;

03-Fazer com que o paciente e a família sejam mais cooperativos e tolerantes para um procedimento que, no início, é bastante desagradável;

04-Resguardar a privacidade do paciente;

05- Facilitar a inserção da sonda;

06- Proporcionar barreira física entre o profissional e os fluidos corporais do paciente;

07- Para inserir a sonda na narina não comprometida;

08- A condição da cavidade oral determina a necessidade o uso de prótese dentária;

Recomendações

  • · Em pacientes com suspeita de TCE, é recomendado a sondagem oral gástrica, sob suspeita de fratura de ossos da base do crânio.

  • · Em pacientes com suspeita de TRM, não elevar o decúbito.

  • · No sistema de sondagem nasoenteral, deve ser obrigatoriamente realizado um RX após a passagem da sonda, antes de administrar qualquer tipo de medicação ou dieta.

  • · Deixar toalhas próximas é importante, pois durante a passagem da sonda, o paciente pode sentir náuseas por estimulação do nervo vago. Caso isso ocorra, interromper o procedimento temporariamente. Ocorrendo vômito, retirar a sonda e atender o paciente, retomando o procedimento mediante avaliação.

  • · Para facilitar a saída do fio guia, lubrificar a sonda internamente com 10 ml de água ou SF antes da passagem da sonda.

  • · Se houver resistência, girar a sonda e ver se ela avança. Se ainda houver resistência, retirar a sonda, deixar que o paciente descanse, lubrificar novamente a sonda e passar pela outra narina.

  • · Guardar o fio guia em uma embalagem limpa e mantê-la junto aos pertences do paciente, caso a sonda atual precise ser repassada.

Referências

1. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Aprova o regulamento técnico para fixar os requisitos mínimos exigidos para a terapia de nutrição enteral.Resolução n. 63, de 6 de julho de 2000.

Disponível em: <http//www. anvisa.df.gov.br/>. Acesso em: 11 jan. 2010.

2. CARMAGNANI, M. I.S. et al. Procedimentos de enfermagem: guia prático. Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 2009.

3. CRISTINA, M. et al. Manual de enfermagem: Instituto Materno-infantil Professor Fernando Figueira. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007

4. KAWAMOTO, Emilia E.; FORTES, Julia I. Fundamentos de enfermagem. 2. ed. São Paulo: EPU, 1997.

5. MANUAL de procedimentos de enfermagem. São Paulo, 2005. Disponível em:

<http://www.unifesp.br/spdm/manual_hosp/arquivos/manuais/>. Acesso em: 6 out. 2009.

6. POTTER, Patrícia A.; ANNE, G. P. Fundamentos de enfermagem. Rio de janeiro: Elsevier, 2005.

7. SANTOS, A. E.; SIQUEIRA, I. L. C. P.; SILVA, C.S. Procedimentos especializados. São Paulo: Atheneu, 2009.

(Série boas práticas de enfermagem em adultos ).

8. TIMBY, Bárbara K. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8. ed. Porto alegre: Artmed, 2007. 

Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 19/04/2015

Gostou? Deixe seu comentário.