Sou Enfermagem

Língua Geográfica


Autor: | Publicado em: 06/04/2015

Língua Geográfica

língua geográfica, mais corretamente denominada glossite migratória benigna, ou ainda, eritema migratório.

Trata-se de uma condição benigna que acomete a língua, caracterizada pela presença de lesões erosivas eritematosas, com bordas irregulares, pouco salientes, cinzento-esbranquiçado, e que lembram o contorno de um mapa.

Não se sabe a causa da língua geográfica. Acredita-se que pode estar relacionada ao estresse emocional, infecções fúngicas e bacterianas. Além disso, esta condição também pode ter caráter genético ou estar ligada a outras causas, como psoríase, dermatite seborréica, síndrome de Reiter, atopia e deficiências nutricionais.

Apesar de acometer indivíduos de todas as idades, este distúrbio costuma surgir nos primeiros anos de vida de um indivíduo e habitualmente some até os 7 anos de idade.

As placas podem aumentar gradativamente, levando à descamação das papilas filiformes, que possuem formato cônico e função abrasiva; permanecendo, as papilas fungiformes, que possuem função gustativa e formato de cogumelo, como pontos mais elevados. Contudo, estas lesões não alteram o paladar e podem regredir espontaneamente. Apesar de esta condição ser assintomática, alguns fatores, como bebidas alcoólicas, alimentos condimentados ou ácidos podem ocasionar ardência e queimação na língua.

O diagnóstico é clínico, devendo ser analisadas as características das lesões. No entanto, em raros casos, pode ser necessário realizar biópsia ou cultura.

O diagnóstico diferencial envolve a candidíase, a leucoplasia, o líquen plano e o lúpus eritematoso.

Uma vez que esta condição apresenta natureza autolimitante e tipicamente é assintomática, não há necessidade de realização de tratamento. Contudo, quando há a presença de sintomas, o tratamento é basicamente sintomático.

Este site usa cookies para fornecer serviços e analisar tráfego. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais. Entendi