Sou Enfermagem

Tricomoníase

Tricomoníase

tricomoníaseA tricomoníase é uma infecção na vagina ou trato genital masculino causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis. Pode ser assintomática ou causar uretrite e vaginite, ocasionalmente cistite, epididimite ou prostatite.

O organismo pode persistir por longos períodos no trato urinário masculino sem causar sintomas, e pode ser transmitida involuntariamente aos parceiros e parceiras sexuais. É comum a tricomoníase estar acompanhada de gonorreia e outras doenças sexualmente transmissíveis (DST).

As causas

Tricomoníase é causada por um protozoário unicelular chamado Trichomonas vaginalis ou T. vaginalis, um tipo de parasita minúsculo que se transmite entre as pessoas durante a relação sexual. O período de incubação entre a exposição e a infecção pode variar de cinco a 28 dias.

Fatores de Risco

Fazer sexo desprotegido com múltiplos parceiros ou parceiras
Histórico de outras DSTs
Episódio prévio de tricomoníase.

 

Sintomas

Muitas mulheres e maioria dos homens com tricomoníase não apresentam sintomas, pelo menos não no início. No entanto, os sintomas vaginais de tricomoníase incluem:

Corrimento vaginal abundante e com mau cheiro, que pode ser branco, cinza, amarelo ou verde
Vermelhidão genital
Coceira vaginal
Dor e ardor ao urinar ou na relação sexual
Dor abdominal (raro).
Os sinais e sintomas podem piorar durante a menstruação.

Diagnóstico

Um exame pélvico mostra manchas vermelhas na parede vaginal ou colo do útero. Depois, utiliza-se o exame do conteúdo vaginal ao microscópio, de fácil interpretação e realização. Colhe-se uma gota do corrimento, coloca-se sobre a lâmina com uma gota de solução fisiológica e observa-se ao microscópio, buscando o parasita flagelado movimentando-se ativamente entre as células epiteliais e os leucócitos. O achado de T. vaginalis impõe o tratamento da pessoa e também do seu parceiro ou parceira sexual, já que se trata de uma DST.

A doença pode ser difícil de diagnosticar nos homens. Homens são tratados se a infecção é diagnosticada em qualquer um de seus parceiros ou parceiras sexuais. Os homens também podem ser tratados se eles têm sintomas contínuos de queimação uretral ou comichão.

Outros exames que podem ser realizados incluem:

Teste de pH vaginal
Exame de cultura de micro-organismos
Exame de citologia

Tratamento

O tratamento mais comum para tricomoníase, inclusive durante a gravidez, é tomar uma dose alta de metronidazol ou tinidazol. O medicamento ministrado por via oral é muito mais eficaz para tricomoníase que a inserção de um creme ou gel no órgão sexual.

Tanto o paciente quanto os parceiros e parceiras sexuais precisam de tratamento e evitar ter relações sexuais desprotegidas até que a infecção seja curada, o que leva cerca de uma semana.

Fonte: Min. Saúde


Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 14/03/2017

Gostou? Deixe seu comentário.

Propaganda