Sou Enfermagem

HPV em Homens

HPV em Homens

Grande parte da informação acerca do papilomavírus humano (HPV) diz respeito às mulheres, já que a contaminação pelo vírus aumenta seu risco de desenvolver câncer no colo do útero. Mas, como o HPV também pode causar doenças no homem, é fundamental que os homens saibam como reduzir suas probabilidades de contágio.

O HPV é um vírus comum. A maioria das pessoas sexualmente ativas vai ter contato com o HPV em algum momento de suas vidas. Há mais de 40 subtipos de HPV que podem ser transmitidos pelo contato sexual. Esses subtipos podem infectar os órgãos genitais, o ânus, a boca e a garganta. Em uma pesquisa envolvendo 1161 homens, verificou-se que 72% dos homens brasileiros têm o vírus. Mas quais são os sintomas? Qual o melhor tratamento? A informação a seguir deve ajudá-lo a conversar com um urologista a respeito desta doença.

Como os homens se contaminam com o HPV?

O HPV é transmitido pelo contato sexual – principalmente pelo sexo anal e vaginal, mas também pelo sexo oral. Como o HPV frequentemente não causa sintomas, a maioria dos homens e mulheres pode adquirir a infecção – e transmiti-la – sem sequer perceber. As pessoas podem ser portadoras do vírus mesmo se a última relação sexual foi há muitos anos. Até mesmo homens que tenham tido uma única parceira sexual podem se contagiar.

Quais são as doenças causadas pelo HPV nos homens?

A maioria dos homens infectados pelo HPV (de qualquer subtipo) nunca vai apresentar nenhuma doença ou sintoma. Mas alguns subtipos podem levar a formação de condilomas (verrugas) genitais. Outros subtipos estão associados ao desenvolvimento de câncer no pênis, ânus ou orofaringe (a parte de trás da garganta, o que inclui a base da língua e as amígdalas). Os tipos de HPV que causam os condilomas não são os mesmos que causam o câncer.

Importante: O câncer de ânus não é o mesmo que o câncer colorretal (do cólon e do reto). O câncer colorretal é mais comum que o câncer de ânus e não é causado pelo HPV.

 

Qual a frequência nos homens das doenças causadas pelo HPV?

  • Cerca de 1% dos homens sexualmente ativos vão apresentar condilomas (verrugas) genitais ao longo de sua vida.
  • Os cânceres de pênis, ânus e orofaringe são incomuns, e apenas uma parte deles está relacionada ao HPV.
    • Em 2010 houve 363 óbitos no Brasil por câncer de pênis, com cerca de mil novos casos por ano. Sua incidência no estado do Pará é alarmante (5,7 novos casos por 100.000 habitantes).
    • Em 2010 houve 98 óbitos masculinos no Brasil por câncer anal.
    • No Brasil não há dados de incidência de tumores de orofaringe (eles são contabilizados em conjunto com o câncer da boca), apesar de se acreditar que ela seja uma das maiores do mundo. A maioria dos casos é, contudo, relacionada ao uso de fumo e álcool, e não ao HPV.
    • Em comparação, em 2010 houve 4.986 óbitos por câncer do colo de útero, o principal câncer ligado ao HPV no sexo feminino.

Alguns homens têm maior risco de desenvolver as doenças relacionadas ao HPV:

  • Homossexuais e bissexuais (que fazem sexo com outros homens) apresentam risco 17 vezes maior de desenvolver câncer anal que os homens que fazem sexo apenas com mulheres.
  • Homens com o sistema imunológico comprometido, como os portadores do vírus HIV, também apresentam rico elevado de desenvolver câncer anal. Eles também têm risco de desenvolver condilomas (verrugas) extensos de difícil tratamento.

Quais os sinais e sintomas?

A maioria dos homens que são infectados pelo HPV nunca desenvolve nenhuma doença ou apresenta sintomas. Para os poucos que apresentam alguma doença, os sinais e sintomas são:

Condilomas (verrugas) genitais:

  • Um ou mais tumores no pênis, testículos, virilha, coxas, no ânus ou ao seu redor.
  • Os condilomas podem ser únicos, agrupados, elevados, planos ou em forma de couve-flor. Eles geralmente não doem.
  • Os condilomas podem surgir após semanas ou meses após o contato sexual com uma pessoa infectada.

                                                  

Câncer anal:

  • Às vezes não há nenhum sinal ou sintoma.
  • Pode haver sangramento anal, dor, coceira ou saída de secreção.
  • Linfonodos aumentados na região anal ou na virilha.
  • Mudanças de hábito intestinal ou no formato das fezes.

Câncer de pênis:

  • Primeiros sinais: mudança na coloração, espessamento da pele ou acúmulo de tecido no pênis.
  • Sinais tardios: tumoração ou ferida peniana. Costuma ser indolor mas, em alguns casos, pode haver dor e sangramento.

Câncer de orofaringe (garganta):

  • Dor de garanta ou dor de ouvido persistente (que não passa).
  • Tosse constante.
  • Dor ou dificuldade em engolir ou respirar.
  • Perda de peso
  • Rouquidão ou mudanças no tom da voz que duram mais de duas semanas.
  • Protuberância (caroço) no pescoço.

Há algum exame para detectar o HPV em homens?

No momento não há exames para detectar o HPV que sejam recomendados para homens. Os únicos exames existentes têm por finalidade rastrear mulheres para o câncer de colo de útero. Eles não têm utilidade para o rastreamento de condilomas ou cânceres relacionados ao HPV em homens.

  • O rastreamento para o câncer anal geralmente não é recomendado. Isso acontece pois ainda são necessários mais estudos para que se possa estabelecer o que pode prevenir o câncer anal. Há, todavia, alguns especialistas que recomendam exames anuais (Papanicolau anal) para homossexuais, bissexuais e portadores do vírus HIV – já que o câncer anal é mais comum nestes homens.
  • Não há consenso em relação a um exame para detectar condilomas. Entretanto, na maioria das vezes o próprio paciente consegue ver os condilomas. Se você acha que possui condilomas genitais, procure um médico especialista. Para fazer o diagnóstico, o médico vai examinar a genitália. Alguns preferem usar um corante e examinar a pele com uma lente de aumento (esse procedimento é denominado peniscopia).
  • Não há nenhum teste para verificar se há infecção pelo HPV que não produza sintomas em homens. Mas como o HPV costuma ser erradicado pelo sistema imunológico sem causar doenças, uma infecção assintomática diagnosticada hoje muito provavelmente não seria encontrada em um ou dois anos.
  • Não há exames de rastreamento para o câncer de pênis.

Você mesmo pode procurar anormalidades em seu pênis, escroto ou ao redor do ânus. Procure um médico se você encontrar condilomas (verrugas), bolhas, feridas, úlceras, manchas esbranquiçadas ou qualquer outro achado que você ache estranho, mesmo que não haja dor.

Há algum tratamento capaz de curar o HPV?

Não existe qualquer tratamento capaz de curar o HPV. Mas há formas de curar as doenças causadas pelo HPV em homens.

Os condilomas (verrugas) genitais podem ser tratados com remédios, cirurgia ou ainda crioterapia (congelamento). Alguns desses tratamentos são aplicados pelo médico, outros são feitos em casa pelo próprio paciente. Nenhum tratamento é melhor que os demais. Os condilomas frequentemente surgem novamente alguns meses após o tratamento, logo pode ser necessário repetir o tratamento algumas vezes. Ainda não se tem certeza de que o tratamento reduza a probabilidade do homem transmitir a doença a sua parceira. Caso não se trate os condilomas, eles podem desaparecer naturalmente, persistir no estado atual ou aumentar em tamanho ou número. Eles não vão se transformar em câncer.

Postado por: Sou Enfermagem | Publicado em: 04/04/2015

Gostou? Deixe seu comentário.

Relacionados